Tel. 57.3102536047
dr. gonzalo e. díaz m.   
Ecografia em Cor - Telemedicina 

Gravísima Polución en Bogotá

 
     

 

Próstata
Biopsia de próstata
Câncer de próstata
Hipertrofia prostática
Próstata 
Prostatite
Prostatectomia
Antígeno prostático
Risco de câncer de próstata
Sangue no sêmen 
Impotência
C.M.P.-Próstata
Diagnóstico do Câncer
18 Razões pelas quais é imperioso evitar a biópsia de Próstata
Ecografia de Próstata

Importante

Esterilidade
Esterilidade feminina
Esterilidade masculina

Revisão Médica Premium
Doenças da mulher

Ecografia
Ecografias
Imagens
Ecografia em Cor

 
Infertilidad
Infertilidad
Cómo solucionar la infertilidad
Evite la laparoscopia
Endometriosis e infertilidad
Infertilidad masculina
Infertilidad y Varicocele
Infertilidad femenina
Infertilidad: Diagnóstico
Fertilización in Vitro
Inseminación artificial
Como saber si sufre o sufrirá infertilidad femenina
ICSI
Chequeo Médico Preembarazo (Syscan)
C.M.E. Preparto

 

Otros temas
Chequeos Médicos Ejecutivos
Obesidad
Cáncer de seno
Biopsia de Seno
Ecografía Ginecológica en color
El Colon
C.M.P. Abdomen-Colon
Enfermedades de la mujer
C.M.P. Mujer
Imágenes ecográficas
Ecografía
Ecografía definición
ecografías
en Portugués
telemedicina
boletín Salud
ley 100
ultrasonido
actualidades
en Español
en Inglés
servicios

 

Biopsia Prostática

Que é a biopsia prostática?
A biopsia prostática é um procedimento cirúrgico mediante o qual se obtêm segmentos de próstata para ser estudados pelo patólogo.

Como se faz?
Há duas técnicas e em ambas se utiliza uma agulha composta por um segmento ou vareta findo em ponta que se desliza dentro de um cilindro delgado. Ao girar ou ao retroceder o segmento interno dentro do cilindro se produz o corte . A técnica mais comum é introduzir uma agulha flexível acoplada a uma sonda ecográfica através do ânus, e atravessar com a agulha a parede do reto até chegar à próstata O outro método usa uma agulha rígida no espaço que há entre o escroto e o ânus, atravessando os tecidos, até chegar à próstata, ajudado por uma sonda ecográfica colocada paralelamente à agulha e que é introduzida no reto.

Em ambos casos se utiliza uma pistola de mola que dispara a parte interna da agulha para adentro. Depois, retrocede-se a parte interna da agulha que tem um bisel que corta o tecido prostático ao retroceder.

É dolorosa?
Sim, a não ser que se empregue anestesia geral ou regional (peridural ou raquídea), pois a anestesia local não atinge a próstata, a qual é muito sensível.

Biopsia de próstata
Biopsia prostática: agulha em vermelho próstata violeta
Observa-se um problema frequente: penetrar a parede vesical

Pode a biopsia afirmar com certeza que não tenho câncer de próstata?
Não. Nenhuma técnica pode dizer com certeza que não há câncer. Unicamente pode afirmar que se há câncer quando este é detectado.

Por que não pode a biopsia assegurar-me que não tenho câncer de próstata?

  1. Se o câncer é tão pequeno que não alcance a ser detectado pelos métodos empregados, simplesmente não será detectado

  2. O câncer de próstata é de consistência dura e é muito fácil que a dureza do tecido desvie a agulha, especialmente na técnica com agulha flexível

  3. Quando os intermediários da saúde manipulam aos profissionais da saúde os recursos são muito limitados. É bem como se reutilizam as agulhas e pistolas para praticar as biopsias. As agulhas reutilizadas perdem fio e por tanto não cortam bem. Isso faz muito mas dolorosa a biopsia (são aproximadamente 4 a 7 disparos) e  se reduz a quantidade de tecido adequado para o exame patológico. E a reutilização das pistolas reduz a resposta de suas molas, fazendo o corte também menos efetivo e mais doloroso. Quanto mais se usa uma mola, mais se gasta. Um exemplo ilustrativo: Quanto mais incompetente é a prefeitura de uma cidade, mais se usam os amortecedores e mais se gastam (Qualquer parecido com Bogotá, é pura coincidência )

Complicações da biopsia prostática
a- Infecções, entre as quais a septicemia, hepatite e AIDS são as mais graves 
b- Hemorragia e hematomas, incluindo sangue na urina, fezes e sémen
c- Fístulas arteriovenosas
d- Semeias do tumor pois se soltam células cancerosas que viajam pelo sangue

Pode evitar-se a Biopsia prostática?
Sim, se a prelação é o bem-estar do enfermo. Existem outros meios de estudar a próstata em procura de câncer sua disseminação e progresso. Os principais são a C.M.P.-Próstata,  PSADI que faz parte da C.M.P.-Próstata quando se toma o antígeno prostático adequadamente e antes da ecografia, e o PSADI velocity index. E a gamagrafía óssea é também de grande ajuda para detectar metástase.

Serve o tato rectal para saber o estado da próstata?
Só aproximadamente e em casos muito avançados, pois o dedo do examinador só pode valorizar a parte da próstata em contato com o reto. Quando não existiam outros meios, esta era a única forma disponível. Atualmente, o confiar no só tato rectal, equivale a diagnosticar o bem-estar de uma gravidez ou valorizar a posição de um dispositivo para planificar mediante tato vaginal. Ou um exemplo mais simples: O que sucede com a
saúde pública: Seu médico lhe saúda "Que tal, como estas? " E você lhe diz "Bem. Graças! ". Seu médico contesta: "Excelente. Felicito-te por tua boa saúde. Espero-te em dois meses. Até depois! .... Seguinte!.."   

Outras formas mais seguras de avaliar o câncer de Próstata:

C.M.P.-Próstata tem sensibilidade: do 99.8% (de 1000 pacientes sintomáticos em 998 detectamos patologia relevante) obrigado ao postproceso em cor. Sua precisão é também maior graças ao CAD (Computer Aided Diagnósticos ou diagnóstico dirigido por computador. Graças ao anterior, é quase sempre possível evitar a biopsia (Se um tumor maligno é pequeno, a biopsia costuma sair negativa pois a agulha rara vez o perfura). Por isso, a biopsia só pode fazer-se com uma margem aceitável de confiança quando o tumor é o suficientemente grande. 

ASSIM, se o tumor não é visível ecográficamente, muito seguramente a biopsia resultará negativa

Risco de espalhar o câncer de próstata ao efetuar biopsias prostáticas

Normalmente o corpo trata de isolar aquilo que lhe faz dano, incluindo ao tecido maligno arredor do qual o organismo costuma construir uma parede isolante. A resistência dessa parede é inversamente proporcional à malignidad do tumor.

Quando se rompe essa parede com um instrumento, por exemplo com uma agulha para biopsia, produz-se hemorragia e as células antes encerradas pela parede passam ao sangue para ser transportadas a todo o corpo, facilitando a aparição de metástase, que são focos secundários de tecido tumoral afastados do tumor original.

O sistema imune usualmente protege da invasão de células tumorales na mesma forma em que protege das infecções. Mas quando este sistema imune é insuficiente, aparecem as metástases. Ao perfurar um tumor, liberam-se células tumorales para o sangue, aumentando a possibilidade de metástase. No caso da próstata, as metástases costumam aparecer em osso.

Resumindo: Um pequeno tumor canceroso de crescimento muito lento (o câncer de próstata cresce muito lentamente) submetido a biopsia pode voltar-se um tumor metastásico grave de crescimento rápido, invadindo osso e produzindo incapacidade e dor intensa.

A biopsia de próstata se faz usualmente com ao menos 7 disparos de agulha, pelo qual se aumentam consideravelmente as possibilidades de metástases. A biopsia prostática (e qualquer biopsia) não deve fazer-se às presas. Existem médios diagnósticos avançados que permitem formas menos perigosas e menos dolorosas de abordar o problema.

Para pensar:
A maior parte das biopsias prostáticas resultam negativas ( e isso não significa do que não exista câncer), mas todas são muito dolorosas e podem produzir complicações muito severas, entre elas a expansão do tumor, se este existir.

Para recordar:
Quem finalmente decide se se submete ou não à biopsia prostática, é você. Se tem alguma dúvida, confira-nos gratuitamente por email sobre como evitar a biopsia de próstata a seguir.

Mais informações e consulta médica gratuita