Tel. 57.3102536047
dr. gonzalo e. díaz m.   
Ecografia em Cor - Telemedicina 

Gravísima Polución en Bogotá

 
     

 

Próstata
Biopsia de próstata
Câncer de próstata
Hipertrofia prostática
Próstata 
Prostatite
Prostatectomia
Antígeno prostático
Risco de câncer de próstata
Sangue no sêmen 
Impotência
C.M.P.-Próstata
Diagnóstico do Câncer
18 Razões pelas quais é imperioso evitar a biópsia de Próstata
Ecografia de Próstata

Importante

Esterilidade
Esterilidade feminina
Esterilidade masculina

Revisão Médica Premium
Doenças da mulher

Ecografia
Ecografias
Imagens
Ecografia em Cor

 
Infertilidad
Infertilidad
Cómo solucionar la infertilidad
Evite la laparoscopia
Endometriosis e infertilidad
Infertilidad masculina
Infertilidad y Varicocele
Infertilidad femenina
Infertilidad: Diagnóstico
Fertilización in Vitro
Inseminación artificial
Como saber si sufre o sufrirá infertilidad femenina
ICSI
Chequeo Médico Preembarazo (Syscan)
C.M.E. Preparto

 

Otros temas
Chequeos Médicos Ejecutivos
Obesidad
Cáncer de seno
Biopsia de Seno
Ecografía Ginecológica en color
El Colon
C.M.P. Abdomen-Colon
Enfermedades de la mujer
C.M.P. Mujer
Imágenes ecográficas
Ecografía
Ecografía definición
ecografías
en Portugués
telemedicina
boletín Salud
ley 100
ultrasonido
actualidades
en Español
en Inglés
servicios

 

Ecografia em Cor de Músculo
Diagnóstico de lesões musculares

As lesões musculares são frequentes especialmente em desportistas

A ecografia em cor de músculo detecta doenças e lesões musculares em forma singela, indolora, segura, econômica. Superando as limitações da radiografia convencional, da tomografía e da ressonância magnética.

A seguir veremos as alterações mais comuns que podem detectar-se por ultrasom. A tomografía e a ressonância carecem de utilidade para o diagnóstico muscular, a primeira por não  mostrar adequadamente o músculo, o ser um exame estático e a impossibilidade de diferenciar sólidos de líquidos, e a segunda por ser um exame estático que não pode determinar as alterações musculares que aparecem com o movimento..

A ecografia de músculo detecta hipertrofia, tendinite, atrofia, ruptura, hematoma, desgarros, miositis, hérnias, tumores, abcesso, calcificaciones e cicatrizes.

Tumores

Dentro dos tumores benignos, um das mais frecuentees é o lipoma, que se localiza na gordura subcutânea ainda que também pode aparecer no músculo, ou entre as fascias que separam os músculos. Os hemangiomas e os linfangiomas, também benignos, aparecem na ecografia como imagens semiesféricas muito brilhantes. Os neurofibromas semelham quistos pelo que se definem claramente. Os granulomas crônicos podem simular tumores.

Dentro dos tumores malignos, o liposarcoma é o mais comum nas extremidades. Localiza-se preferencialmente na coxa e na perna. Ainda que o liposarcoma se visualiza muito bem, sua diferenciação com o lipoma é difícil. No entanto a biopsia dirigida ecográficamente aclara o diagnóstico. O condrosarcoma e o rabdomiosarcoma, neoplasias de baixa sonodensidad, podem simular quistos e atingir grande tamanho. Outra das neoplasias malignas que podem afetar ao músculo é o leiomiosarcoma, originado nas paredes vasculares. As metástases nas extremidades são raras mas podem aparecer e também são visíveis por ultrasom. O linfoma pode encontrar-se dentro da massa muscular e é frequente que apareça na região inguinal. Os melanomas e seu progresso invasivo geram signos sonográficos próprios de infiltração muscular, que são muito claros. O ultrasom também permite avaliar a resposta à quimio e radioterapia. Ainda que a diferenciação entre benignidad e malignidad nas neoplasias das extremidades é muito difícil, a facilidade de praticar punções dirigidas ecográficamente permite um diagnóstico preciso.

Abcessos e celulites

Os abcessos são coleções de material purulento que produzem reação inflamatoria periférica, com hiperestesia, hipertermia, eritema e induración, e usualmente devem ser drenados. A chamada celulite de origem infecciosa é uma reação inflamatoria tisular difusa em resposta a uma infecção. Gera também hipertermia, hiperestesia e induración, mas não há coleção de material purulento, pelo qual não requer drenagem. Ainda que os achados físicos rara vez permitem diferenciar celulite de abcesso, a sonografía aclara o diagnóstico.

Quistos poplíteos

Estão formados por uma evaginación anormal da bolsa membranosa do músculo gastrocnemio, que pode comunicar-se com a articulação, ainda que não sempre sucede assim. Alguns pesquisadores o atribuem a herniación da cápsula articular posterior. É uma manifestação comum da artritis reumatoide que pode achar-se em outras doenças degenerativas articulares ou aparecer também como seqüela posterior a traumatismos. Ao invés da artrografía, o ultrasom detecta o quisto em condições fisiológicas, isto é, sem injecção de ar ou líquido na cavidade articular. Por isso os quistos demonstrados ecográficamente são sempre patológicos, verdadeiros quistos de Baker e não "quistos" iatrogénicos. Os achados ecográficos do quisto poplíteo são mas específicos que os derivados do artrograma. Por isso todo quisto reportado na artrografía deve ser reevaluado por ultrasom.

Uma massa palpável na fossa poplítea e correspondente a gordura excessiva pode confundir-se com um quisto. Sua diferenciação sonográfica é singela e também permite distinguir os quistos poplíteos dos aneurismas.

Quisto poplíteo disecante

Os quistos poplíteos podem estender-se caudalmente dentro dos músculos da pantorrilha causando dor e inflamação em forma similar à produzida pela tromboflebitis. A diferenciação entre estas duas entidades é indispensável, pois os anticoagulantes são perigosos em caso de um quisto poplíteo disecante. A sonografía permite uma fácil diferenciação.

A ultrasonografía é superior à artrografía porque não há necessidade de injetar meio de contraste para visualizar o quisto, e quando não existe comunicação entre este e o quisto disecante da pantorrilha o ultrasom demarca ambos, enquanto a artrografía não.

Aneurismas

A artéria poplítea é a localização mas frequente dos aneurismas das artérias periféricas. Usualmente ocorre em homens entre os 60 e 70 anos e se associa freqüentemente a aneurismas aorto-ilíacos. A ultrasonografía e tem mais exata do que o exame físico e do que a arteriografía, já que muitos aneurismas não podem visualizar-se angiográficamente por estar ocupados por trombos

A precisão do diagnóstico por exame físico é só do 50% porque os aneurismas pequenos não são palpáveis e muitas massas pulsátiles não são aneurismas. A sonografía detecta tanto as paredes do aneurisma como suas trombos internos. O tamanho e a extensão ecoográfica do aneurisma se correlacionam muito bem com os achados cirúrgicos. A arteriografía costuma subestimar o tamanho dos aneurismas pela não visualização do área do aneurisma com trombos, e o exame físico costuma sobreestimarlo pela gordura presente à fossa poplítea. A sonografía supera tais limitações e ademais pode diferenciar aneurismas poplíteos de outras massas.

Hematomas

Os hematomas podem desenvolver-se depois de um trauma ou aparecer espontaneamente em pacientes com discrasias sanguíneas, hemofilia ou com terapia anticoagulante. O sangue pode acumular-se dentro de um ou múltiplos músculos. Os hematomas e edemas da perna podem causar o "síndrome de compartimento", que requer fasciotomía para prevenir o dano irreparável do nervo. Em pacientes com tromboflebitis e submetidos a terapia anticoagulante, o ultrasom é útil para determinar se uma distenção dolorosa da perna obedece a exacerbação da tromboflebitis, ou à formação de hematoma. Nas contusões, o sangue pode infiltrar-se entre as fibras musculares ou no tecido gorduroso subcutâneo, formando um hematoma loculado bem definido com a subsequente inflamação e dor, cuja causa é facilmente detectável por ultrasom. Um pseudotumor é uma complicação rara mas grave da hemofilia, na qual se desenvolve uma cápsula fibrosa na periferia do hematoma que não permite sua resolução e que com o tempo pode afetar ao osso.

Feridas e outros problemas musculares

A rabdomiolisis corresponde a desintegraçao muscular com mioglobinuria, que a sua vez pode ocasionar falha renal agudo. A primeira pode ser originada por vírgula induzido por drogas, onde o paciente permanece imóvel durante horas. Na fase oligúrica o cálcio pode depositar-se no músculo lesado, o qual detecta o sonograma.

As calcificaciones musculares também ocorrem por miositis osificante, que pode originar-se por traumatismos.

É possível detectar cicatrizes no músculo, ruptura de tendões contraturas, etc, bem como avaliar a resposta ao tratamento. São frequentes os exames do manguito do rotador, dos gêmeos do cuadríceps, bíceps, tríceps, da parede abdominal, etc. Existem muitas mais alterações detectáveis por ecografia como destruição articular, tromboflebitis, hérnias, linfedema, alterações ósseas, etc.

 

Calcular o índice de Massa Corporal
Como está seu peso segundo sua estatura

Escreva seu peso

use as unidades corretas

Escreva sua altura

use as unidades corretas

índice de Massa Corporal 

    

  Interpretação